Please reload

Posts Recentes

Como saber se o pedreiro é eficaz antes de começar a obra

March 13, 2018

1/3
Please reload

Posts Em Destaque

Como contratar um arquiteto

March 4, 2018

Eis que chega o tão sonhado dia. Acabo de comprar um terreno, ou um imóvel já pronto, e agora devo iniciar o processo de construção ou de reforma da minha casa. Pois bem, como começar? Quem devo chamar? É o arquiteto? O que ele faz e, principalmente, como ele cobra?

 

O primeiro profissional que deve ser contatado é o arquiteto. Ele pode auxiliá-lo desde o momento da escolha do terreno, da casa ou do apartamento que você estiver pretendendo comprar. No caso de um terreno, ele vai levar em consideração a insolação, os ventos, os vizinhos, o acesso, os ruídos e o preço da terra, entre outros fatores, para ajudar na decisão sobre qual o melhor lote a ser comprado. No caso de um imóvel existente, o arquiteto analisará o estado da construção, o custo das alterações necessárias, a facilidade ou a possibilidade de se chegar ao resultado pretendido, etc, para escolher a melhor opção de imóvel.

 

 

Contratar um arquiteto é caro?

 Caro ou barato é relativo, a construção de uma casa, por exemplo, apresenta vários gastos distribuídos ao longo das fases da obra. Esses custos incluem: material, mão de obra, serviços, equipamentos, transportes, etc.

 

Na hora do dimensionamento de uma obra, é comum que certos custos como o de projeto de arquitetura, estrutura, fundações e instalações não estejam contemplados, mas essas são atividades importantes e que devem constar no orçamento.

 

Estudos indicam que o valor dos projetos varia entre 5% a 12% do custo total da obra. Quer dizer, é um percentual muito baixo, um custo pequeno para um ganho tão alto, afinal garante maior segurança, redução de desperdícios e otimização de tempo. Além disso, uma casa projetada por um arquiteto tem maior valor de revenda.

 

Projetos de arquitetura valorizam o imóvel

Outro fator relevante é que a intervenção profissional de um arquiteto valoriza o imóvel depois de pronto. Além disso, as tramitações legais ocorrem de maneira mais fácil e dinâmica, facilitando as transações de compra, venda e financiamento.

 

Sim, o orçamento pode até estar apertado, mas contratar um arquiteto é uma estratégia inteligente que proporciona maior eficiência na obra, ou seja, contar com esse profissional tende a facilitar os processos.

 

Como escolher um bom arquiteto
A primeira medida é escolher o profissional. Para a presidente do IAB, a arquiteta Rosana Ferrari, de Jundiaí (SP), é como procurar um médico: vale seguir indicação de amigos, pesquisar em sites e revistas especializadas e visitar mostras de decoração. Tudo isso vai mostrar o trabalho do profissional para que o cliente sinta se tem afinidade de estilos, seja: contemporâneo, clássico, despojado. Além disso, ajuda a treinar o olhar e a aumentar o repertório de informações na hora de verbalizar os desejos ao profissional contratado. E, se não se sentir seguro com as orientações, vale procurar uma "segunda opinião". 

Também é bom pedir ao profissional o seu portfólio e uma lista de clientes e referências para que se possa checar pessoalmente as informações. É importante ainda avaliar a formação, o treinamento, a experiência e as entidades das quais o profissional faz parte. 

Funções 
É preciso, antes de tudo, ter claras as funções do profissional. O arquiteto faz projetos de arquitetura, que vai desde a avaliação do terreno para a implantação do projeto, passando por detalhamento de interiores (paginação de piso e azulejos, luminotécnica e instalações hidráulicas e elétricas), até o gerenciamento da obra. Além disso, esse profissional pode fazer projetos de interiores, paisagismo e até a parte urbanística. "O arquiteto pode planejar desde uma cadeira até uma cidade", brinca Rosana. 

Necessidades 
Antes de contratá-lo, no entanto, recomenda-se verificar sua real necessidade. Você precisa somente de um projeto? Ou do projeto mais acompanhamento e gerenciamento da obra? Saiba que é possível contratar apenas serviços avulsos, como uma consultoria. Veja as etapas: 

Projeto: é possível contratar o profissional apenas para criar o projeto arquitetônico, que inclui mudanças e soluções para o espaço de acordo com o que o cliente necessita. Segundo Rosana, dentro dessa fase estão previstos estudo preliminar, projeto pré-executivo, projeto executivo e detalhamento. De forma simples, significa que o projeto contém plantas e perspectivas, cálculos e projetos de estrutura e instalações elétricas e hidráulicas, além de opções de materiais para estruturas e acabamentos. O arquiteto também realiza o planejamento da obra e o cronograma (com tempo para conclusão de cada fase). Isso tudo deve ser seguido por quem vai executar a obra, que pode ser o próprio arquiteto. Ele cobra uma porcentagem do custo estimado da obra, calculado pela metragem quadrada da área a ser reformada ou construída e pela complexidade dos serviços. 

Acompanhamento da obra: nessa fase, o arquiteto acompanha cada etapa para checar se tudo está sendo seguido de acordo com as especificações do seu projeto. Geralmente, o profissional visita a obra uma vez por semana e, se o piso foi colocado errado, por exemplo, é possível mudar a tempo. Para a presidente da IAB, o ideal é que o cliente contrate também o arquiteto que fez o projeto para acompanhar a obra, mesmo que esse profissional não faça o gerenciamento. "Caso contrário, o projeto deve estar muito detalhado para que a construtora entenda o execute corretamente", explica. 

Gerenciamento da obra: o arquiteto faz cotações de preços em três fornecedores, compra materiais, contrata de profissionais e acompanha toda a execução dos serviços. Esse serviço também pode ser feito por outros profissionais ou até pelo próprio dono da casa. 

Consultoria: se a intenção é apenas uma reforma simples, como troca de revestimentos, o arquiteto pode ser contratado para uma consultoria. Nesse caso, ele sugere opções de acabamentos, produtos e mão-de-obra, sem necessidade de plantas e detalhamento técnico. Essa situação não é comum no mercado, muitas vezes por falta de informação de que isso é possível. 

Contrato e prazos 
Depois de tudo resolvido, é hora de colocar no papel. E isso inclui serviços a serem prestados, preços e prazos. "è necessário que tudo fique muito claro. Inclusive para o cliente, que precisa ter em mente que os prazos também dependem dele. Por exemplo, a aprovação de um layout para dar continuidade à obra", diz Rosana.

 

Ficou alguma dúvida? Entre em contato com a gente através do email tipoarquitetos@gmail.com ou através do telefone 038 99878 7461. Será um prazer lhe atender.

 

E não deixe de visitar nosso site para ver nossos serviços, projetos, depoimentos de clientes, ou ler novas matérias do blog! Clique aqui e confira

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Arquivo
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Copyright - Tipo Arquitetos - Arquitetura e Interiores - 2018